Home > E-maristes > Champagnat > Letters of Champagnat > Carta de Marcelino - 024

 


 



 


Social networking

Marist Brothers

RSS YouTube FaceBook Twitter

 

Today's picture

Philippines: MAPAC (Marist Asia-Pacific Center) 1st Year Brothers

Marist Brothers - Archive of pictures

Archive of pictures

 

Latest updates

 


Calls of the XXII General Chapter



FMSI


Archive of updates

 

Marist Calendar

17 July

Saint Marcellina

Marist Calendar - July

Carta de Marcelino - 024

 

Br. Marcellin Champagnat
01/11/1831


In other languages
English  Español  Français  

A carta original não traz indicação do endereço para onde se destinava. Para conseguir este dado importante, o Irmão Paul Sester recorre aos cadernos de contas de lHermitage. Num deles se lê: Em 16-09-1832, recebido do Irmão Barthélemy, por conta da escola de Saint-Symphorien: 43,80 francos
Resolvido o enigma.
O Padre Champagnat escreve ao Irmão Barthélemy, para lhe conceder a autorização que este lhe deve ter pedido anteriormente. Aproveita a ocasião para animá-lo a enfrentar as dificuldades do cargo. Promete ir visitá-lo assim que tiver ocasião de ir a Lião; Saint-Symphorien DOzon fica perto, 30km ao sul.
Interessante notar como o Padre Champagnat, sempre voltado para a catequese, com o pensamento como que enfeitiçado pelo carinho com que falava perante um auditório infantil, lá pelo fim da carta passa para o estilo direto, como se estivesse se dirigindo aos alunos do Irmão Barthélemy!
A escola dirigida pelos Irmãos passava então por sérias dificuldades. Quem ousaria dizer que um simples operário saído dos teares de seda de Lião, fosse capaz de causar tantas inquietações e contratempos aos Irmãos? Apoiado pelo prefeito, o senhor Farge, atiçou uma concorrência feroz contra os Maristas e as Irmãs Ursulinas.

V.J.M.
Caríssimo Irmão Barthélemy,
Que Jesus e Maria estejam sempre com você!
Permito-lhe, meu caro amigo, comungar aos domingos, na quinta-feira, como está indicado em seu regulamento, e na terça, favor que está solicitando agora; mas, esta última licença só por três meses. Concedo a mesma licença ao Irmão Isidore, mas somente na primeira terça-feira do mês.
Prometo-lhe que, na próxima vez que for a Lião, irei visitá-lo. Coragem, meu caro amigo, basta que você, juntamente com seu colaborador, tenham a vontade de ministrar o ensino a um bom número de meninos. Porém, se os não tiver, sua recompensa será a mesma. Não se perturbe por ter um reduzido número de alunos. Deus tem em sua mão os corações de todos os homens; há de lhe mandar muita gente, quando julgar bom. Basta que você, por infidelidade, não se oponha.
Você se encontra onde Deus queria colocá-lo, pois que está onde o mandaram seus superiores. Não duvido que Deus o recompensará com abundantes graças.
Não se canse de dizer aos meninos que eles são os amigos dos santos que estão no céu, da Santíssima Virgem e particularmente de Jesus Cristo.
Tanto é assim que esses corações juvenis causam inveja a Jesus. Se visse o demônio apoderar-se deles, Jesus estaria disposto, se necessário fosse, a morrer de novo sobre a Cruz, aí mesmo em Saint-Symphorien, para salvar esses pobres meninos!
Acrescente mais este pensamento: Deus ama a vocês todos, e eu também amo a todos, pois que Jesus Cristo, a Santíssima Virgem, os Santos amam tanto a vocês.
Diga-lhes ainda: “Vocês sabem por que Deus os ama tanto? É porque vocês são o preço de seu Sangue e porque vocês podem tornar-se grandes santos, mesmo sem muito sacrifício. Basta querer.
O bom Jesus promete colocar vocês sobre os ombros, para poupar-lhes o esforço de andar a pé. Que infelicidade, meus filhos, não conhecer Jesus como deveríamos!. Isto é sobretudo para aqueles que manifestam pouca vontade de estudar o catecismo. Com o número reduzido de alunos que você tem, faça uma pequena novena em honra da Santíssima Virgem: Cinco Pai-Nossos e... Nós vamos começar hoje uma novena em lHermitage, na mesma intenção, isto é, para o bom andamento de todos os estabelecimentos da Sociedade. Escreva nos livros de todos os seus alunos: Maria foi concebida sem pecado!
Abraço-o nos Sagrados Corações de Jesus e de Maria, onde o deixo. Transmita ao senhor pároco e a seu coadjutor meus sentimentos de amizade.
Champagnat, sup.
Notre Dame de lHermitage, 1º de novembro de 1831.

3442 visits