Home > E-maristes > Champagnat > Letters of Champagnat > Carta de Marcelino - 169

 



Wherever you go

Rule of Life of the Marist Brothers


 



 


Social networking

Marist Brothers

RSS YouTube FaceBook Twitter

 

Today's picture

Germany: Maristen Gymnasium Furth

Marist Brothers - Archive of pictures

Archive of pictures

 

Latest updates

 


Calls of the XXII General Chapter



FMSI


Archive of updates

 

Marist Calendar

11 December

Saint Damasus I, Pope

Marist Calendar - December

Carta de Marcelino - 169

 

Br. Marcellin Champagnat
10/01/1838


In other languages
English  Español  Français  

O Padre Champagnat fez uma parada de vários dias em Lião, para completar os documentos. Escreve ao Irmão François, para que lhe mande alguns objetos que havia esquecido em LHermitage. O Irmão Marie Jubin que o acompanhará até Paris poderá trazer-lhe o que ficou para trás. Vai também o Padre Jean-Baptiste Chanut, um dos Capelães de lHermitage.
Ao se referir ao Padre Terraillon, Champagnat diz ao Irmão François de consultá-lo, quando puder. É que Terraillon exercia então o cargo de Assistente do Padre Colin e mais, respondia pela paróquia de Sain-Chamond.
O Padre Matricon é o outro Capelão que ficou uns quarenta anos atendendo os Irmãos e Noviços de l’Hermitage, na parte espiritual.
Os Irmãos Adrien e Félix residem provavelmente no bairro Denuzière, de Lião, onde também o Padre Champagnat deve estar hospedado.

V.J.M.J.
Lião, 10 de janeiro de 1838.
Meu caríssimo Irmão François,
Em suas dificuldades, após ter consultado a Deus e a Mãe de todos nós, consulte o Padre Matricon. Diga-lhe que fui eu que o aconselhei a consultá-lo. Entenda-se com ele e com o Padre Terraillon quando puder. Aos domingos, à hora de costume, reúna na secretaria o Padre Matricon e os Irmãos que costumam reunir-se. Tenha o cuidado de tomar nota das deliberações, a fim de mas apresentar quando eu chegar.
Mande meias ao Irmão Adrien, uma batina ao Irmão Félix, pelo Irmão Marie Jubin.
O Irmão Louis Marie esqueceu a folha de desenho na mesa de despachos da Estação da Estrada de Ferro, em Saint-Chamond, e eu meu guarda-chuva em Notre Dame em Saint Chamond, na casa do Pároco.
Deveremos partir para Paris segunda-feira, pelas 9 horas da manhã. Ao que parece, tudo vai dar certo. Mas, sempre digo: Nisi Dominus. Receio até que todos esses recursos prejudiquem um pouco os desígnios da Providência e, longe de acelerar nossos pedidos, contribuam, pelo contrário, para prejudicá-los. Portanto, reze muito a Deus e mande rezar.
Esqueci o meu terço, queira enviá-lo sem falta. O caderno grande de notas que deixei sobre a escrivaninha, queime-o ou guarde-o debaixo de chave para que ninguém o vasculhe.
O noviço que devia sair comigo não deve permanecer, a menos que tenha mudado de parecer. Mande o Irmão Cassien a Millery e, de acordo com o relatório que fizer, mande mais um Irmão; será o quinto da comunidade.
Que o Irmão não esqueça meu passaporte nem a carta do Pároco de São Pedro.
O Padre Chanut me diz de lhe mandar muitas lembranças.
Adeus, meu caríssimo Irmão, deixo a todos nos Sagrados Corações de Jesus e de Maria.
Digamos juntos: Nisi Dominus...
Champagnat
sup.

3257 visits