Home > E-maristes > Champagnat > Letters of Champagnat > Carta de Marcelino - 242

 


Wherever you go

Rule of Life of the Marist Brothers


 



 


Social networking

Marist Brothers

RSS YouTube FaceBook Twitter

 

Today's picture

United States: Marist youth - Esopus

Marist Brothers - Archive of pictures

Archive of pictures

 

Latest updates

 


Calls of the XXII General Chapter



FMSI


Archive of updates

 

Marist Calendar

21 November

Feast of the Presentation of Mary

Marist Calendar - November

Carta de Marcelino - 242

 

Br. Marcellin Champagnat
14/02/1839


In other languages
English  Español  Français  

Frère Dominique se via a braços com muitas dificuldades em Charlieu e as autoridades municipais não ajudavam a escola dos PETITS GARÇONS. Quem salvou mais uma situação crítica foi a generosidade do senhor Blaise Aurran. (cf. Carta no 219).
Uma questão a resolver era a habitação dos Irmãos. (cf. Carta no 13). O aluguel da casa onde moravam estava com prazo vencido; os Irmãos deveriam então voltar para o mosteiro do Padre Hugand.
O Fundador promete ao Irmão Dominique fazer-lhe uma visita.
Depois disto, não sabemos como os Irmãos puderam se arranjar. Muitas outras dificuldades foram vencidas pela paciência e o espírito de luta dos Irmãos, principalmente por causa da onda de laicização que tomou conta da França toda, no final de século XIX. Os Irmãos só deixaram Charlieu em 1978 por falta de Irmãos.

Meu caríssimo Irmão,
Tenho a intenção de ir visitá-lo dentro de poucos dias. Verei juntamente com você o que de melhor se pode fazer. Enquanto isso, junto com seus colaboradores, faça o que for possível. Maria, nossa Mãe comum, não lhe recusará seu socorro se você lhe pedir com confiança e perseverança.
Fico muito contente, meu caro Irmão Dominique, de saber que vocês têm muitos alunos. Levar-lhe-ei um relógio. Já não sei mais qual foi que você me deu nas férias.
Anime muito seus colaboradores. Transmita muitas saudações amigas de minha parte ao bom Irmão Andeol.
Em lHermitage, tudo vai mais ou menos. Já temos alguns Irmãos doentes, vindos de nossos estabelecimentos. Juntos rezemos por eles para que Deus os ajude a suportar santamente a situação em que se acham.
Adeus, meu caro Dominique. Que Jesus e Maria estejam com você.
Tenho a honra de ser seu mui humilde servidor.

3199 visits